Gomes de Matos Consultoria

Transforme sua operação melhorando a eficiência da manutenção

Em muitos segmentos, os custos de manutenção podem representar entre 10% e 25% dos custos operacionais do negócio, em outros podem representar bem menos, no entanto a indisponibilidade do equipamento pode causar grandes perdas de faturamento, que é um custo invisível que pode comprometer a saúde financeira do negócio.

Apesar disso, manutenção eficiente não é a norma. Frequentemente é possível observar desperdícios nas operações de manutenção: Movimentações desnecessárias para procura de componentes; Altos níveis de estoque; Espera por material; Defeitos. Isso não muda se a manutenção é própria ou terceirizada, você paga da mesma forma.

Todo mundo concorda que planejar e programar a manutenção pode reduzir esses desperdícios, entretanto, na prática, não é o que se observa. Abaixo as principais razões para isso:

  • A manutenção é muito reativa: Com frequência observado em empresas com forte mentalidade de “Produção é rei”. Nesse contexto, as ações são imediatistas, não há uma visão clara sobre os desperdícios e comprometimento de resultados de médio e longo prazo causados pela falta de planejamento e programação das atividades de manutenção. Mudar uma cultura reativa é um desafio significativo, alguns acharão atraente a recompensa instantânea de ser um excelente bombeiro.
  • Planejamento ou programação de baixa qualidade: Planos de tarefas, cronogramas precisos e acordos de nível de serviço cumpridos definem o padrão que se espera da manutenção. Embora um cronograma incompleto possa ser apropriado em algumas circunstâncias, ele também pode ocultar o desperdício. As melhores empresas alcançam alta eficiência de manutenção por meio de um processo sistemático de ordem de serviço, conforme mostrado no Anexo 1.

A priorização, planejamento e programação das manutenções corretivas pode melhorar significativamente a eficiência da manutenção, em alguns casos ser suficiente para viabilizar um nível de disponibilidade adequado à operação. Na maioria dos casos, porém, onde se há grande dependência do uso de equipamentos, para aumentar a disponibilidade é imprescindível o uso de estratégias proativas de manutenção, que viabilizam redução de custos e níveis de estoque sem confiabilidade da manutenção. O gráfico abaixo expressa a relação entre custos de manutenção e nível de manutenção preventiva.

A manutenção preventiva é um tipo de manutenção proativa que busca manter os ativos em ordem, antecipando quando podem ocorrer problemas. Em vez de esperar que o equipamento acumule problemas ou quebre completamente, a manutenção preventiva reduz o tempo de inatividade não programado e grandes reparos, cuidando dos principais componentes antes que algo dê errado.

O objetivo da manutenção preventiva é aumentar a vida útil dos ativos, evitando a depreciação excessiva e a deterioração ou avarias prematuras. Esta manutenção inclui, mas não se limita a, ajustes, limpeza, lubrificação, reparos e substituição de peças.

A Gestão da Manutenção é um mundo, que não se conclui com as manutenções preventivas, pelo contrário, elas são apenas o início da profissionalização da sua Manutenção. A saída de um modelo reativo para o modelo proativo, com vistas para utilização de princípios e ferramentas de Lean Manufacturing e Agile são preponderantes para melhorar a eficiência de sua operação.

Ganhos de produtividade e redução de desperdícios podem ser por meio de uma mentalidade proativa e de um processo sólido de planejamento e de programação de serviços, mas para ir além fazer-se necessário investimento em pessoal qualificado, tecnologias e recursos de análise que permitam que a equipe de manutenção possa aprofundar-se nas análises de falha e gestão de manutenção. Para tal, é fundamental uma arquitetura organizacional compatível, com papéis, responsabilidades e indicadores claros para equipe, suportada por rotinas de análise e planejamento bem definidos por meio de ritos de gestão.

A partir de uma estrutura organizacional compatível com as aspirações do negócio, o sistema de manutenção poderá se desenvolver, considerando os seguintes aspectos:

  • Capacitação de funcionários: O sucesso do sistema de manutenção depende da melhoria das competências e do envolvimento dos colaboradores no desenvolvimento de novos padrões de trabalho. Capacitar os funcionários é a base para os outros três princípios. Inclui treinamento em manutenção padrão, bem como em metodologias enxutas para aumentar o senso de propriedade do equipamento.
  • Minimização de custos: Foco em um claro aumento na eficiência da manutenção, refletido em reduções de custos anuais e estoques reduzidos de peças de reposição.
  • Aumento da disponibilidade de ativos: Atender à crescente demanda dos clientes requer melhorias contínuas na utilização de ativos e na eficácia do equipamento. Mudar de uma abordagem reativa para uma abordagem proativa pode reduzir as avarias e prolongar a vida útil do equipamento.
  • Ênfase em segurança e em qualidade: Além da eficiência, as prioridades devem incluir segurança, impacto ambiental e qualidade do produto.

Por fim, para maximizar as chances de sucesso da transformação é imprescindível atentar-se às práticas de Gestão da Mudança. Cerca de 1/3 das Transformações na Manutenção falham. Entre os principais motivos, podem-se citar: resistência dos colaboradores, falta de apoio dos gestores seniores e insuficiência de recursos ou orçamento.

Quer transformar sua operação melhorando a eficiência da sua manutenção? Entre em contato com a gente!

Mauro Vitor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar post: